sábado, 30 de junho de 2012

RESENHA: A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER

O livro A importância do ato de ler: em três artigos que se completam de Paulo Freire, está na sua 50ª edição e publicado em 2009 pela editora Cortez.
A temática da obra é abordar a importância da leitura no aspecto crítico na construção do saber sem as amarras da alienação. Propõe a criação de uma biblioteca popular que seria a leitura colocada em prática, além de comentar sua metodologia usada na alfabetização de adultos na República Democrática de São Tomé e Príncipe.
Paulo Freire, educador, autor de “Pedagogia do Oprimido”, um método da alfabetização dialético e sempre defendeu o diálogo com as pessoas simples, não só como um modo de ser realmente democrático.
A obra foi construída em cima de três artigos do autor: A importância do Ato de ler; Alfabetização de adultos e bibliotecas populares – uma introdução e O povo diz a sua palavra ou a alfabetização em São Tomé e Príncipe.
No primeiro artigo Paulo Freire comenta que o ato de ler teve diferentes momentos na sua vida, fazendo uma “leitura do mundo em que nasceu; e que depois veio a leitura da palavra, nem sempre foi a leitura da ‘palavramundo’”, ou seja, interpretar o real significado das palavras, e não apenas, a decodificação de símbolos. No entanto, “leitura da palavra, da frase, da sentença, jamais significou uma ruptura com a ‘leitura’ do mundo. Com ela, a leitura d palavra foi a leitura da ‘palavramundo’’. Ele ressalta ainda, que a “memorização mecânica da descrição do objeto não se constitui em conhecimento do objeto”. Assim, também, é na leitura de um texto; se apenas decorando não significa o entendimento plausível do mesmo. Por isso o ato de ler “implica sempre percepção crítica, interpretação e ‘re-escrita’ do lido”.
Já no segundo artigo Freire nos diz que a “compreensão crítica da alfabetização que envolve a compreensão igualmente crítica da leitura, demanda a compreensão crítica da biblioteca”. Dito de outro modo, o autor aponta que a construção do conhecimento dar-se-á pela apreensão da leitura crítica. E mais adiante ele nos leva a uma linha de pensamento político; afirmando que é “impossível negar a natureza política do processo educativo quanto negar o caráter negativo do ato político”. Ou seja, assim como existe problemas no contexto político propriamente dito na construção de uma sociedade melhor, da mesma forma é a educação, a leitura crítica que conduzirá o individuo a novas decisões políticas. Assim os educadores têm a missão de conscientizar os alunos de que não basta entender as letras, mas ler o texto, interpretar o contexto para não fazer pretextos com as palavras. Antes a alfabetização era imposta e escondia a realidade dos fatos; hoje ela é um ato de conhecimento, político, criador, que dentro dos textos existem os contextos.
Na última parte, Paulo Freire, esboça o grande esforço que vem sendo feito na alfabetização de adultos. Os Cadernos de Cultura Popular são usados como livros básicos em São Tomé e Príncipe, apresentando historias populares da região com exercícios chamados “Praticar para Aprender” numa linguagem “desafiadora e não domesticadora”. Ele elogia o governo são-tomense no qual tinha a preocupação de ensinar não apenas ‘um puro bê-á-bá’, mas aprender, também, a ‘pensar certo’. Adiante o autor enfatiza que estudar “exige disciplina; que não é fácil porque estudar é criar e re-criar é não repetir o que os outros dizem”.
Então, a leitura vai além da simples decodificação de letras justapostas, da aridez e frieza das palavras; é sim entender o mundo de significados, os bastidores dos textos, a “palavramundo”. É pegar um texto, ler o seu contexto para não fazer pretextos. Que as decisões da vida cotidiana de cada indivíduo (decisões micro) refletem as decisões mais amplas (decisões macro), complexas e que fazem toda diferença na sociedade. Uma obra que merece e deve ser estudada e colocada em prática já nos primeiros passos da vida dos estudantes de qualquer idade.

DADOS:
UFAM - UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS
ACADÊMICO: Arivano Silva – arivano@live.com.pt
PROFESSOR: MARCELO RODRIGUES
CURSO: PSICOLOGIA – FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO
FONTE: FREIRE, Paulo. A Importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 50 ed. São Paulo: Cortez, 2009.



Nenhum comentário: